27 de ago de 2008

"O foco agora não é legalização" - fernando gabeira, n´o globo


'Neste momento, eu não seria a favor da legalização’, disse
O Globo, 27 de agosto de 2008, página 10

Uma das marcas da vida política do candidato Fernando Gabeira (PV), a legalização da maconha não é mais a sua bandeira. Ontem, ao ser sabatinado na Associação Brasileira de Imprensa (ABI) Gabeira disse que, atualmente, não defenderia a legalização.

— O foco agora não é legalização. Neste momento, eu não seria a favor da legalização. Foi uma discussão um pouco inútil, perdi energia — disse Gabeira na sabatina, organizada pelo jornal “Estado de São Paulo”. — A colocação do debate entre legalizar ou não coloca os dois lados numa posição insatisfatória. Sem uma polícia moderna, eficaz e honesta, você não consegue nem reprimir nem legalizar. A nova discussão que proponho é reformar a polícia.

O candidato do PV reconheceu que até hoje sofre preconceito de eleitores por conta de já ter defendido temas polêmicos, ‘como legalização da maconha.

— A gente tem que trabalhar naquilo em que se pode marchar junto: na reforma da polícia e no aumento da informação - destacou Gabeira, que na sabatina chegou a criticar o PSDB, partido que lhe deu o bom tempo na TV de que dispõe. — Ele tem um desempenho (como oposição) que não considero dos melhores. Os que estiveram no governo não conhecem o mecanismo de oposição. Ficou realmente uma lacuna na oposição no Brasil hoje.

Gabeira teve uma rejeição de 20% na última pesquisa Ibope, — o segundo maior nível de rejeição, atrás apenas de Marcelo Crivella (PRB), com 29%.

— Nossos políticos, conforme as pesquisas, passam a afinar seu discurso pelo que o eleitor médio quer, o que vai pasteurizando as eleições. Esse recuo faz muito mal à democracia — disse o professor de História contemporânea da Universidade Federal Fluminense Daniel Aarão Reis. — O Gabeira deveria assumir com mais agressividade sua posição. Podia se arriscar mais, como se arriscou quando jovem. Se perder, fica com suas convicções. O pior é vencer sem elas.

do blog da marcha da maconha


clipping da ação de gabeira em 96 (e da repercussão até "o sumiço do bagulho" - antes d´"o sumiço do bagulho no discurso"): Auxiliadora, Bagé, RS - 1976

3 comentários:

Guilhermé disse...

Este "novo" discurso do Gabeira está de acordo com sua coligação com o PSDB. Desfiliou-se do PT por alegada incompatibilidade com os escândalos de corrupção, para se aliar ao partido liberal que vendeu o patrimônio nacional a preço de banana... se ainda fosse a preço da erva, sairia mais em conta...
A classe média reacionária do Rio de Janeiro quer saber se ele vai ousar abrir mão da tanguinha de crochê tb e correr o risco de perder o voto declarado do Caetano Veloso.

neco tabosa disse...

politricks, como diria jello biafra.

pra conquistar o poder é preciso fazer umas alianças bem bizonhas. mas é preciso ser reforçado que gabeira não arrisca dizer "esqueçam o que eu escrevi" feito aquele sociólogo.

prefere sair pela tangente, bem mais humano: "perdi energia com o debate" e assume que o buraco é mais embaixo.

mas que pega mal aliviar uma postura que chegou a ser bem readical, aí pega...

só o tempo vai mostrar se os eleitores maconheiros cariocas liberaram o novo gabeira.

albergaria disse...

Muito bom o post!!!! realmente o Gabeira tem o meu voto. Creio que ele poderia ter sido menos peidão e explicar que continua sendo a favor da legalização, porém, pra ela acontecer seria necessário a melhoria da qualidade de nossa polícia. Política é assim mesmo, enervante... mas ruim com ele, pior sem ele... imagina Crivela vencedor? que desastre... que vergonha...