3 de out de 2008

Sri Lanka quer plantar sua própria maconha para uso terapêutico - G1


Fonte: G1 [26/09/08]

Lei proíbe cultivo no país, mas ministério pede uma exceção.
Marijuana é usada em preparados da medicina ayurvédica.

O governo do Sri Lanka anunciou que quer produzir sua própria maconha para uso na produção de medicamentos ayuvérdicos.

O ministério da Medicina Indígena disse que o país enfrenta uma escassez da erva. Desde 1890, a marijuana é ilegal na ilha, mas o ministério quer abrir uma exceção na lei.

O ministério iniciou um plano para produzir 4 toneladas anuais da erva em uma fazenda de 20 acres.

"Estamos interessados em obter autorização para plantar alguma cannabis sob supervisão do governo, mas é necessário haver controle. Estamos estudando", disse Asoka Malimage, secretária do ministério.

A Ayurveda é uma tradicional medicina que remonta aos princípios do hinduísmo e que se utiliza largamente de ervas e remédios naturais, com o objetivo de curar tanto o corpo como a mente. No Sri Lanka, ela é mais praticada que a medicina ocidental.

Marijuana fresca congelada em ghee (uma espécie de manteiga), é usada em 18 tipos de remédios para tratar uma variedade de doenças, segundo a funcionária.

"Até agora, estamos conseguindo alguns estoques a partir de apreensões legais, porque tem gente que planta cannabis ilegalmente e é flagrada pela polícia", disse Malimage.

Mas o problema é que essa droga apreendida geralmente está velha e desidratada, diz o médico Dayangani Senasekara, que preside um instituto de medicina ayurvédica em Colombo, capital do país.

O instituo usa preparados com marijuana para tratar colesterol alto, diabetes, artrite reumatóide e descoloração da pele. Em breve, a maconha também vai ser usada no tratamento de cataratas, disse o médico.

No Ocidente, o uso da maconha para tratar doenças como glaucoma ou perda de apetite tem sido alvo de grandes debates médicos. Alguns países e parte dos Estados Unidos permitiram seu uso nestes casos, depois que alguns estudos médicos provaram sua eficiência.

Nenhum comentário: