25 de set de 2008

Leite de maconha - Campo Aberto / Revista Globo Rural

Texto: Carlos Gutierrez
Fotos: Divulgação

Fonte: Campo Aberto /
Revista Globo Rural

Durante muito tempo, o leite de soja foi uma opção para as pessoas que não gostavam ou não podiam ingerir leite animal. Mas agora no Canadá, a soja ganha um novo e forte concorrente: a maconha.

A empresa Living Harvest Helpmilk lançou três sabores de leite de maconha: chocolate, baunilha e normal. Outra companhia canadense também aposta no setor, a Manitoba Harvest Hemp, que colocou no mercado iogurtes feitos de maconha.

A princípio, tal iniciativa pode parecer estranha. Mas é bom esclarecer que o leite de maconha é feito com as sementes da planta, assim como o de soja. A plantação, legalizada no Canadá, é restrita aos usos industrias da planta: fibras, alimentos, entre outros produtos.

O nível de THC (substância existente na maconha que causa efeitos alucinógenos) é praticamente zero. Ou seja, o leite não contém qualquer substância que cause efeitos psicoativos. Em outras palavras, não deixará o consumidor drogado.


Os benefícios do leite de maconha são a maior quantidade de proteínas, a ausência de colesterol, o alto índice de vitaminas e das gorduras ômega 3 e ômega 6, substâncias necessárias para o bom funcionamento do nosso organismo, mas encontrada em poucos alimentos. Além disso, o produto também é rico em ácido gama-linolênico que, segundo alguns cientistas, ajuda na luta contra o câncer, a tratar inflamações e estimular o sistema imunológico.

O produto já é sucesso total nos supermercados canadenses, tanto que agora o leite e o iogurte começam a ser exportados para os Estados Unidos.

3 comentários:

l.Pietro ? disse...

A cannabis ja vem se mostrado de um tempo pra ca, um produto com alta incidencia para se tornar uma commoditties (que entraria no grupo de produtos como trigo, feijao, soja...) e ajudaria muito economicamente países tropicais.
Ela tem diversas funçoes quando relacionado a produtos, como os textis, como combustivel, produtos alimenticios e base suplementares.
Porém a hipocrisia do nosso sistema nao permite que tais sejam implementados no mercado devido a criminalizaçao criada pelos eua na decada de 60.

é triste ver que algumas soluçoes nao sao adequadas.

neco tabosa disse...

sem falar nos avanços da medicina que são interrompidos, pietro.

sobre o assunto recomendo a leitura de "maconha, cérebro e saúde" (tem um link por aí com a tag livro...).

vc vai ficar de cara com a quantidade de experimentos no tratamento de doenças (alguns interrompidos pelo tabu da porra do acordo mundial que impede a cannabis de ser cultivada em tantos países)

aproveito pra mandar um salve pro além lá pro menino henry ashlinger! esse gde humanista!!

neco tabosa disse...

corrigindo: Harry J. Anslinger

que foi O cara

http://en.wikipedia.org/wiki/Harry_J._Anslinger