13 de nov de 2008

na rota do kif - revista piauí: carta do Marrocos


"Madame tranqüila", "reggae marroquino", "busca-vidas" são alguns termos da língua franca falada nas verdejantes plantações de maconha que se esparramam pelo norte do Marrocos.

por guilherme russo

No verão, quando bate o sol e sopra um ventinho leve nas baixadas da cordilheira do Rif, no norte do Marrocos, a fragrância que prevalece no ar é de maconha fresca. O povoado de Asar aparece à beira da estrada como a porta de entrada para os verdes campos da erva, que se esparramam por uma área de mais de 1 milhão de metros quadrados. O viajante que perambula ali está cercado por plantações da “madame tranqüila” por todos os lados. O apelido afetuoso mistura as duas línguas dos principais mercados consumidores, o espanhol e o francês. Fotos de satélite mostram que todo o norte marroquino está tomado pela planta.

4 comentários:

Fabiano Albergaria disse...

Filipeta da Massa sempre com suas dicas finas... que texto foda! enredo foda! e parece ser real mesmo...

neco tabosa disse...

chapei desde que li na revista.
precisava postar aqui...

mas como assim "parece ser real"? não é verdade não?
tas sabendo de alguma coisa, albergaria?

Fabiano Albergaria disse...

To sabendo nao brother, mas é que o tipo de texto me fez viajar longe... isso é jornalismo literário? algo do tipo?
é real sim rs pelo menos acredito que seja...

neco tabosa disse...

albergman,
desconfio se tratar de new journalism
(só sei o nome assim, em português)

e achei esse texto aqui: (http://www.qualquer.org/gonzo/monogonzo/monogonzo02.html)

mas é mero chute.

alguém estudou esse negócio aí?
tem algum entendido na platéia?